Resag

Objetivos da criação

A Rede de Saneamento e Abastecimento de Água – RESAG foi criada por representar uma das áreas estratégicas do País, a qual está vinculada ao Sibratec/Serviços Tecnológicos juntamente com as demais redes temáticas.

A importância estratégica e a influência do saneamento e abastecimento de água são visíveis em varias áreas, como: habitação, dado que 82% da população é urbana (IBGE); agricultura; saúde; ambiente e outras que corroboram tal afirmação e consequentemente ressaltam a necessidade de garantia das condições hidráulicas adequadas de moradia, do acesso à água, da coleta e tratamento de esgoto e da destinação dos resíduos sólidos. Para atender a todos os aspectos são necessários recursos e principalmente políticas de planejamento, execução e monitoramento, em especial ações de educação fundamentada numa ação integrada em todo o território nacional.

Missão

Melhoria da Capacitação Laboratorial na área de Qualidade, Saneamento e Abastecimento de Água.

Estrutura da Rede

São 38 laboratórios e 20 instituições em 10 Estados brasileiros.

Nosso Trabalho

8 subprojetos: Gestão, Calibração, Capacitação, Competência Analítica, Calibração e Acreditação, Programas Internaboratoriais, Materiais de Referência Certificados, Caracterização de Materiais Distribuição.

Primeira Fase

Esta primeira fase visa o estabelecimento e consolidação da estrutura de gestão e operativa da Rede, com o apoio do projeto “Melhoria da Capacitação Laboratorial na área de Qualidade, Saneamento e Abastecimento de Água”, aprovado pela FINEP em 13 de abril de 2011 conforme publicação do Diário Oficial. O prazo inicial de execução desse projeto era de 36 meses, o qual foi prorrogado, sendo a data de término das atividades 01 de abril de 2016.

Resumo Histórico

Participam do projeto as instituições que atenderam ao convite do Ministério de Ciência Tecnologia e Inovação – MCTI nos dias 30 e 31 de março de 2009 para participar de um encontro promovido pelo Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação onde cerca de 250 pessoas representavam os laboratórios habilitados e as instituições que tiveram suas pre-propostas aprovadas quando da chamada pública do MCT para a formação do Sibratec no qual foram apresentados e discutidos os critérios e objetivos relacionados com a implantação, consolidação e gerenciamento das Redes Temáticas de Serviços Tecnológicos.

Os profissionais presentes eram representantes de organizações públicas e privadas sem fins lucrativos que atendiam aos critérios estabelecidos nas Diretrizes Gerais do Sibratec - Resolução CG nº 01/2008.

Como parte desse processo foi definida a coordenadora da RESAG, cuja indicação foi ratificada pelo então ministro de Ciência Tecnologia e Inovação, e o núcleo de coordenação da RESAG, que ficaram responsáveis pela elaboração das propostas, as quais deveriam atender a critérios definidos pelo Comitê Gestor*, aos objetivos do Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional (Plano CTI 2007-2010) e as prioridades da Política Industrial, Tecnológica e de Comercio Exterior (PITCE) e demais PAC setoriais que participaram do Plano CTI 2007 – 2010.
* formado por representantes de vários ministérios, FINEP, CNPq, BNDS, Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, CAPES, INMETRO, ABDI, INPI, CNI, SEBRAE e ANPEI. 

O SIBRATEC é gerido, no âmbito nacional, por um Comitê Gestor, três Comitês Técnicos, sendo um para cada componente, uma Secretaria Executiva exercida pela Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTI e tendo como Agência Executora a FINEP.

A base para a elaboração da proposta foram demandas identificadas pela Agência Nacional de Água – ANA, companhias de saneamento, órgãos de defesa do consumidor e laboratorios participantes. 

Atividades

As atividades definidas pelo edital estavam diretamente relacionadas com a Tecnologia Industrial Básica (TIB), que compreende os tópicos da infraestrutura de qualidade nacional, a saber: normalização, metrologia e avaliação da conformidade compreendendo certificação e ensaios. Foi um direcionamento focado no apoio e desenvolvimento da infraestrutura de serviços tecnológicos oferecidos à sociedade, com capacidade para avaliar e certificar a qualidade de produtos, processos e serviços por meio de organismos de certificação, laboratórios de ensaio e de calibração, organismos de treinamento, organismos de ensaios de proficiência e organismos de inspeção.

Em especial, o apoio foi dirigido às Micro, Pequena e Média empresa brasileira (MPME) visando à melhoria da qualidade de produtos, processos e serviços na indústria, comércio interno e exportações.

Sibratec - Sistema Brasileiro de Tecnologia

Em 20 de novembro de 2007 foi criado o Sistema Brasileiro de Tecnologia – SIBRATEC, em atendimento às expectativas da Política de Desenvolvimento Produtivo e do Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Em 2012 foi inserido na Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação 2012-2015 e nas prioridades do Plano Brasil Maior (PBM) como instrumento de estímulo às empresas brasileiras para incorporarem cada vez mais conhecimentos e tecnologias produzidos pelas Instituições Científicas e Tecnológicas (ICT) brasileiras.

Objetivo

O objetivo do Programa é apoiar o desenvolvimento tecnológico das empresas brasileiras, além de melhorar a qualidade dos produtos nos mercados interno e externo, dando condições para o aumento da taxa de inovação das empresas, e contribuir para o aumento do valor agregado, de faturamento, produtividade e competitividade nos mercados interno e externo e atuar como instrumento de articulação e aproximação da comunidade científica e tecnológica com as empresas brasileiras.

Atividades


O planejamento das atividades deve tomar por base a demanda empresarial e o desenvolvimento tecnológico das empresas brasileiras, principalmente as micro e pequenas empresas, conduzindo-as ao processo de melhoria de qualidade e inovação.

O SIBRATEC apoia atividades de P&D voltadas para a inovação em produtos e processos, em consonância com as prioridades das políticas industrial, tecnológica e de comércio exterior visando aumentar a competitividade das empresas brasileiras, tendo a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) como a agência executora.

Para integrar-se ao Sistema a instituição deve ser pública ou privada sem fins lucrativos e atender aos critérios estabelecidos nas Diretrizes Gerais do SIBRATEC - Resolução CG nº 01/2008. Como já mencionado, o Sistema é um dos principais instrumentos de articulação e aproximação da comunidade científica e tecnológica com as empresas e está organizado em três tipos de Redes: Redes de Centros de Inovação, Redes de Serviços Tecnológicos e Redes de Extensão Tecnológica.

Redes de Serviços Tecnológicos


O apoio do SIBRATEC às Redes de Serviços Tecnológicos destina-se a aprimorar e consolidar a infraestrutura dos serviços de avaliação da conformidade (metrologia, ensaios, análises e certificação), normalização e regulamentação técnica, com a finalidade de auxiliar as empresas na superação de exigências técnicas para acesso aos mercados interno e externo.

A relevância do SIBRATEC – Rede de serviços tecnológicos se caracteriza por (MCTI, 2009):

  • Integração e sinergia das instituições que compõem as Redes SIBRATEC.
  • Foco no atendimento das demandas das empresas em articulação com representantes setoriais.
  • Descentralização / interiorização / capilaridade dos atendimentos às empresas
  • Cooperação institucional entre as instituições mais experientes e as emergentes no compartilhamento das competências tecnológicas e trocas de informações técnicas.
  • Maior visibilidade, interna e externa, e credibilidade dos serviços ofertados pelas Redes.
  • Otimização dos recursos financeiros, humanos e infraestrutura.
  • Potencialização de outros aportes financeiros, tais como: BNDES; FAP; Federação das Indústrias; SEBRAE, IEL, Bancos de desenvolvimento regional etc.
  • Melhor difusão e transferência de conhecimentos científicos e tecnológicos.
  • Proporcionar condições para o aumento da taxa de inovação das empresas.
  • Identificar/solucionar gargalos tecnológicos na gestão, projeto, desenvolvimento, produção e comercialização de bens e serviços.
  • Atender as necessidades das empresas na superação de exigências técnicas para o acesso a mercados.

Redes temáticas


As Redes temáticas que fazem parte dos Serviços Tecnológicos/SIBRATEC foram definidas pelo MCTI de acordo com áreas estratégicas para o País, de maneira a apoiar o seu desenvolvimento, permeando o território nacional, com a participação de instituições importantes em cada área. Os setores objeto de atuação das Redes são:

Produtos para a saúde, Insumos farmacêuticos, medicamentos e cosméticos, Sangue e hemoderivados; Análises físico-químicas e microbiológicas para alimentação; Biotecnologia; Saneamento e Abastecimento de Água; Radioproteção e dosimetria; Equipamentos de proteção individual; Produtos e dispositivos eletrônicos; TIC aplicáveis às novas mídias: TV Digital, comunicação sem fio, internet; Geração, transmissão e distribuição de energia; Componentes e produtos da área de defesa e segurança; Biocombustíveis; Produtos de manufatura mecânica; Produtos de setores tradicionais: têxtil, couro e calçados, madeira e móveis; Instalações prediais e iluminação pública; Monitoramento ambiental; Transformados plásticos; Gravimetria, orientação magnética, intensidade de campo magnético e compatibilidade eletromagnética; e Resíduos e Contaminantes em Alimentos.

Vera Maria Lopes Ponçano

Coordenadora Geral – Resag

Resag
Avenida Paulista, 2.200 - 9º Andar, CEP 01310-300
Consolação, São Paulo - SP - Brasil
Tel.: +55 11 3283 1073
C2013 Resag - Todos os direitos reservados
Produzido por BRSIS