PALESTRANTES

Adriana Maria Tonini

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Minas Gerais (1992), graduação em Licenciatura Plena pela Fundação de Educação para o trabalho de Minas Gerais (1995), mestrado em Tecnologia (Modelos Matemáticos e Computacionais) pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (1999) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007). Atualmente é Diretora de Engenharias, Ciências Exatas, Humanas e Sociais do CNPq, professora associada da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) lotada no Centro de Educação Aberta e a Distância, Departamento de Educação e Tecnologias (DEETE). Coordenadora geral do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) na UFOP. Vicecoordenadora geral do Programa Escola de Gestores na UFOP. Coordenadora dos Cursos de Especialização em Coordenação Pedagógica e Mídias da Educação na UFOP. Professora do Mestrado em Educação Tecnológica do CEFET-MG. Editora da revista de Ensino de Engenharia da Associação Brasileira de Educação em Engenharia (ABENGE), membro da comissão técnica de ensino de engenharia da Sociedade Mineira de Engenheiros (SME). Tem experiência na área de Ensino, Pesquisa, Extensão e Gestão, atuando principalmente nos seguintes áreas: Formação Profissional e Tecnológica, Educação a Distância, Formação de Professores e Educação em Engenharia.


Alexandre Emmel

Bacharel em Química, formado pela Universidade Federal do Paraná e mestre em Química Orgânica, também pela UFPR, com curso de aperfeiçoamento na Alemanha especialmente em analítica instrumental de compostos orgânicos ambientais. Atualmente responde pela área de Cromatografia do Instituto SENAI de Tecnologia em Química e Meio Ambiente do Paraná.


Cezar Luciano Cavalcanti de Oliveira

Graduado em Engenharia Elétrica UFRGS e mestrado em Engenharia Biomédica pela UFRJ, tendo concluído cursos de extensão universitária em engenharia nuclear pela UFRGS e inteligência artificial pela UnB e especialização em sistemas de gestão da qualidade pela Fundação Vanzolini da USP. Experiência profissional como professor de biofísica na UFPE, tendo exercido os cargos de chefia do Departamento de Instrumentação Digital da Secretaria de Informática (SEI), da Coordenação Geral de Avaliação Tecnológica no Ministério da Saúde (MS) e da Gerência de Equipamentos Médicos na ANVISA. Representou o MS como coordenador no Grupo de Harmonização de Regulamentos Técnicos de Produtos Médicos do MERCOSUL e como membro do Comitê Brasileiro de Avaliação da Conformidade (CBAC), Comitê Brasileiro de Normalização (CBN) e Comitê Brasileiro de Metrologia (CBM) do CONMETRO, representando mais recentemente o MCTIC nestes Comitês.


Cláudia Mizuta

Engenheira de produção, com mestrado em gestão da qualidade. Atuação por 15 anos no Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, na área de gestão da qualidade corporativa. Coordenação do sistema de gestão com base nas normas NBR ISO 9001 e NBR ISO/IEC 17025, atuação no relacionamento com os organismos certificadores e acreditadores, desenvolvimento da metodologia de abordagem de processos. Ministrante de treinamentos de interpretação de normas da qualidade e de auditorias de gestão da qualidade.


Denise Camarano

Doutora (PhD) em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com área de concentração em Calor e Fluidos, Mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com área de concentração em Metrologia e Automação, formada em Engenharia Mecânica Industrial pela Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ). No mínimo por vinte anos, trabalho no campo da Metrologia, como calibração, incerteza de medição, controle de qualidade, ISO 8260; IEC 17025 acreditação de laboratório, termometria e propriedades termofísicas. Membro da Comissão Técnica de Temperatura e Umidade (CT-11) da Divisão de Acreditação de Laboratórios do INMETRO. Membro do grupo ISO 8260; IEC 17025 de avaliadores líderes e avaliadores técnicos em temperatura e umidade da CGCRE (Coordenação Geral para Acreditação) do INMETRO. Membro do grupo ISSO 8260 ; IEC 17043 de técnicos especializados em temperatura e umidade dos prestadores de teste de proficiência da CGCRE. Pesquisadora do Centro de Desenvolvimento de Tecnologia Nuclear (CDTN) da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) na área de metrologia térmica. Responsável por atividades de pesquisa em propriedades termofísicas de combustíveis nucleares e materiais desenvolvidos no Laboratório de Medições de Propriedades Termofísicas do CDTN.


Édison Carlos

É Presidente Executivo do Instituto Trata Brasil. Químico industrial de formação, por muitos anos atuou em áreas ligadas à Comunicação e Relações Institucionais nos setores químico e petroquímico. Além de formado em Química pelas Faculdades Oswaldo Cruz, o executivo é pós-graduado em Comunicação Estratégica, já tendo atuado nas áreas de tratamento de águas e efluentes. Atuou por quase 20 anos em várias posições no Grupo Solvay, sendo que nos últimos anos foi responsável pela área de Comunicação e Assuntos Corporativos da Solvay Indupa. Em 2012, Édison Carlos recebeu o prêmio “Faz Diferença – Personalidade do Ano” do Jornal O Globo – categoria “Revista Amanhã” que premia quem mais se destacou na área da Sustentabilidade em todo o país. (www.tratabrasil.org.br). Entre 2014 e 2016, Édison atuou em parceria com a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) na formatação da Campanha da Fraternidade Ecumênica que em 2016 divulgou a problemática do Saneamento Básico em todo o país.


Eliana Cardoso Emediato de Azambuja

  • Administradora
  • Especialização em Gestão da Qualidade pela JUSE – Union of Japanese Scientists and Engineers – Tóquio, Japão e PennState University – Pensilvânia, EUA
  • Coordenadora de Gestão Tecnológica da Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.
  • Coordenadora do Pró-Inova, Programa Nacional de Sensibilização e Mobilização para a Inovação que visa articular as iniciativas de entidades parceiras, com vistas à sensibilização, conscientização e mobilização dos empresários e da sociedade para a importância da inovação como instrumento de crescimento sustentável e competitividade, e à necessidade do aperfeiçoamento do ambiente institucional, bem como a disseminação de informações relevantes sobre programas e instrumentos de incentivo à inovação.
  • Responsável pelo Programa iTec e pelas ações de Manufatura Avançada no MCTIC.
  • Coordenadora Alterna da RECyT   e Coordenadora da Comissão de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia do MERCOSUL, responsável pelo Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia que é realizado em dez países da América do Sul (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela)


Elaine Maria Frade Costa

Professora Livre Docente da Disciplina de Endocrinologia e Metabologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), Pós-Doutorado em Endocrinologia Pediátrica pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (2006), doutorado em Endocrinologia pela FMUSP (2001). Médica Supervisora do Serviço de Endocrinologia do Hospital das Clínicas da FMUSP, Médica Chefe da Unidade de Endocrinologia do Desenvolvimento do Serviço de Endocrinologia do Hospital das Clínicas da FMUSP, Pesquisadora do Laboratório de Hormônios e Genética Molecular/LIM42 do HCFMUSP. Supervisora do Programa de Residência Médica em Endocrinologia da FMUSP, Preceptora permanente do Programa de Residência Médica do Serviço de Endocrinologia do HCFMUSP. Membro da Comissão Permanente de Farmacologia do HCFMUSP. Vice Coordenadora do Centro de Tratamento e Treinamento de Profissionais para o Atendimento de Pacientes com Transexualismo do HCFMUSP em convênio com a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Membro do Comitê Técnico Estadual de Saúde Integral da População LGBT. Membro da Comissão Científica do projeto de Pesquisa: "Análise do Acesso e da Qualidade da Atenção Integral à Saúde da População LGBT no SUS" financiado pelo Ministério da Saúde. Membro do Comitê Técnico do Ministério da Saúde para revisão da Portaria que determina as diretrizes para o Processo Transexualizador no SUS. Coordenadora da Unidade de Zebrafish do Centro de Bioterismo da FMUSP. Membro do grupo Gestor de Inovação da Comissão de Pesquisa da FMUSP. Orientadora nível doutorado pelo Programa de pós-graduação desta Faculdade. Membro Ativo da Sociedade Americana de Endocrinologia (Endocrine Society). Membro da Diretoria e coordenadora do Grupo de Trabalho em Desreguladores Endócrinos (GTDE) da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia-Regional São Paulo (SBEM-SP). Experiência comprovada na área de Medicina, com ênfase em Endocrinologia Clínica, Genética e Biologia Molecular aplicadas a Endocrinologia, atuando como pesquisadora principalmente nos seguintes temas: Hipogonadismo masculino e feminino, distúrbios do desenvolvimento sexual (DDS), Transexualismo e Desreguladores Endócrinos.


Elisa Helena Giglio Ponsano

Possui graduação em Farmácia Bioquímica pela Universidade Estadual de Londrina (1987), mestrado em Ciências de Alimentos pela Universidade Estadual de Londrina (1992), doutorado em Biotecnologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2000), estágio pós-doutoral na Universidad de Córdoba (Espanha) em 2008, livre docência pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2009) e estágio pós-doutoral na Royal Holloway University of London (Inglaterra) em 2012. Atualmente é professora adjunto da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Tem experiência na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos, com ênfase em Tecnologia de Produtos de Origem Animal e Aproveitamento de Subprodutos de Indústrias de Produtos de Origem Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: leite, carne, Rvi. gelatinosus, efluentes industriais, cor, oxicarotenóides, biomassa.


Fernando Antônio Jardim

Possui doutorado pelo programa de pós graduação em Biologia Vegetal do Departamento de Botânica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) - 2008; mestrado pelo programa de pós graduação em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos do departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFMG (1999); graduação em Biologia pelo Centro Universitário Metodista Isabela Hendrix (1989). Atualmente é responsável pelo setor de Biologia da Divisão de Pesquisa e Controle de Qualidade da Água e Esgoto da Companhia de Saneamento de Minas Gerais. Tem experiência na área de Hidrobiologia, com ênfase em cianobactérias e cianotoxinas; limnologia de lagos e reservatórios e implantação das normas ISO 9001 e ISO 17025 em laboratórios de controle da qualidade de água e esgoto.


Fernando Luis Fertonani

Possui graduação em Química, Bacharel, pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Instituto de Química, UNESP, Câmpus de Araraquara (1983); Mestrado em Química Inorgânica (1988) e Doutorado em Química Analítica (1996) ambos realizados no Instituto de Química, UNESP, Câmpus de Araraquara. Foi Prof. na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, UFMS, depto. de Química, cidade de Campo Grande, MS. Atuou no Instituto de Química - UNESP, Câmpus de Araraquara,SP, como docente dos Cursos de Graduação e de Pós-Graduação. Atualmente está lotado no IBILCE-UNESP, Câmpus de São José do Rio Preto, SP. Atua nos cursos de Pós-Graduação em Química do IQ-CAr., FCFAr., e do IBILCE; realizou Pós-Doutorado na Univ. de Loughbourough, UK, no tema, eletrodos de filme de argilas modificadas ensaios de eletrocromismo. Atualmente está Diretor Presidente da ABRATEC - Associação Brasileira de Análise Térmica e Calorimetria. Foi membro do Comitê Central do Programa PIBIC/UNESP CNPq. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Análise Térmica e Eletroquímica/Eletroanalítica. Eletroquímica: investiga reações do em estado sólido do Hg com ligas metálicas constituídas de metais nobres (binárias e ternárias: Pt,Rh,Ir e sistemas Ag-Hg); construção, caracterização e aplicações de microelétrodos de ligas de metais nobres e de Ag pura. Análise Térmica: estudo de reações em estado sólido (formação de amalgamas e intermetálicos); de fármacos; de sistemas estruturados argila-compostos orgânicos; e de aproveitamento de subprodutos da indústria sucroalcooleira (bagaço de cana e de resíduos das estações de tratamento de resíduos). Metrologia em Química e Qualidade: desenvolvimento de material didático institucional; difusão da cultura Metrológica como fator estratégico para os desenvolvimentos pessoal, social e nacional; Validação de métodos analíticos de estimativa do cálculo da incerteza de medições (levantamento de fontes e estimativa do cálculo).


Guilherme Ary Plonski

Guilherme Ary Plonski é professor titular da USP, atuante nos Departamentos de Administração da FEA e de Engenharia de Produção da POLI. É coordenador científico do Núcleo de Política e Gestão Tecnológica da USP. É diretor da Asociación Latino-Iberoamericana de Gestión Tecnológica, conselheiro da International Association of Science Parks and Areas of Innovation e membro da Junta de Governadores do TECHNION – Israel Institute of Technology. Foi diretor superintendente do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, presidente da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores e presidente fundador do Project Management Institute. Integra ou integrou colegiados superiores de numerosas entidades, entre elas:
• Federais: CNPq, FINEP, Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, SEBRAE e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial
• São Paulo: SEBRAE-SP, Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia, Parques Tecnológicos de São José dos Campos e de Sorocaba, Fundações de Apoio à USP e do IPT e CIETEC
• Empresariais: ANPEI e Conselho Superior de inovação e Competitividade da FIESP
• Terceiro Setor: Hospital Albert Einstein e Fundação Iochpe
• Profissionais: ABNT, Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento, Sociedade Brasileira de Metrologia e Rede Metrológica do Estado de São Paulo
O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, a CNI e o SEBRAE lhe outorgaram a Medalha do Conhecimento. Recebeu também a Medalha de Defesa Civil do Governo do Estado de São Paulo, além da honraria de Cavaleiro da Ordem das Palmas Acadêmicas, concedida pelo Governo da França. No IEA, foi membro do conselho deliberativo e ocupa a vice-direção na gestão 2016-2020.


Heliara Lopes Nascimento

Profissional da área de pesquisa e desenvolvimento, com doutorado em Química Analítica e mestrado em Química Orgânica pelo Instituto de Química da Universidade de São Paulo. Graduada em Farmácia e Bioquímica pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (1981) e graduação pelo Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (1978), No período de 1986 a 2007 foi pesquisadora no Centro de Pesquisas da empresa Oxiteno Ind e Com. S.A. onde gerenciou por 13 anos o setor de Pesquisa Analítica com foco no desenvolvimento de metodologias e caracterização de polímeros e formulações para vários segmentos de mercado( cosméticos, tintas, alimentos ,etc). No período de 1975 a 1986 trabalhou como pesquisadora no IPT ( Instituto de Pesquisas Tecnológicas ) atuando nas áreas de Biotecnologia e Produtos Naturais. Experiência em implantação de normas de qualidade em laboratórios e em auditorias de sistemas de gestão ( ISO 9001, TS 16949, ISO 14001, SA 8000 , ISO 17025 , GMP e BPL). Professora colaboradora nos cursos de graduação e pós graduação strictum sensu da disciplina Metrologia em Química do Instituto de Química da UNESP Araraquara, ministrando também treinamentos em cursos de especialização e pós graduação latu sensu (REMESP- rede metrologica do Estado de São Paulo -RACINE (organização educacional na área farmacêutica e cosmética ). Funcionária da United States Pharmacopeia em 2008, atuando na área de padrões de referência no cargo de diretora técnica no laboratório da Pharmacopeia Americana em Barueri, Estado de São Paulo.Participa desde 2009 como pesquisadora colaboradora no Grupo Investiga ( empresas: Allergisa Pesquisa Dermato Cosmetica, Dosage, Invitrocell e Perception - Analises Sensoriais). Pesquisadora colaboradora no Laboratório Thomson do Instituto de Quimica da Unicamp. Participação societária na empresa KEME - Desenvolvimento e Comércio de Instrumentos Cientificos LTDA Auditora credenciada pelo Inmetro na norma ISO 17025.


Jorge Eduardo Sarkis

Pesquisador Titular do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, Chefe do Grupo de Caracterização Química e Isotópica. Professor do curso de Pós Graduação em Tecnologia Nuclear, IPEN, desde 1993.Formado em 1977 no curso de Química da Universidade Federal Fluminense com cursos pós-graduação em Engenharia Nuclear pelo Instituto Militar de Engenharia, Rio de Janeiro (1978). Mestre e Doutor em Tecnologia Nuclear com ênfase em aplicações nucleares da técnica de espectrometria de massas. Desenvolveu seu Doutoramento, forma sanduíche, em espectrometria de massas termiônica (TIMS) aplicada à química nuclear no Kernforschungszentrum Karlsruhe, Alemanha (1984-1986). Em 1993 fez pós-doutoramento na técnica de espectrometria de massas com fonte de plasma indutivamente acoplado (ICPMS) no National Environmental Research Council, University of London, Inglaterra. Em 1999 fez estágio de pós-doutoramento, também em espectrometria de massas (TIMS e ICPMS), agora na área forense nuclear no Los Alamos National Laboratory, New Mexico, Estados Unidos. Atua na área Forense Nuclear , Química Nuclear , Química Analítica , com ênfase em aplicações da técnica de ICPMS na análise de elementos traços em diferentes tipos de matrizes. Desde 2007 vem trabalhando junto a Agência Internacional de Energia Atômica na área forense nuclear . Membro do Conselho Assessor da Sociedade Brasileira de Ciências Forenses.


Jorge Mario Campagnolo

Atualmente é Diretor do Departamento de Políticas e Programas de Apoio A Inovação - Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC). Possui graduação, mestrado e doutorado em Engenharia Elétrica. É professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde foi diretor de Pesquisa e vice-presidente do Comitê Gestor de Incubadoras. Representou a UFSC em entidades com relacionamento empresarial e coordenou a elaboração das normas de incubação da universidade. Foi vice-presidente do Comitê Gestor de Incubadoras da UFSC e auxiliou na implantação do Departamento de Inovação Tecnológica (DIT) da universidade. Foi Coordenador Geral de Serviços Tecnológicos do MCTIC por três anos, sendo responsável pelos programas: Sistema Brasileiro de Tecnologia – SIBRATEC, Programa Nacional de Apoio às Incubadoras de Empresas e aos Parques Tecnológicos – PNI e pelo Programa Nacional de Mobilização e Sensibilização pela Inovação - PROINOVA. Teve participação na coordenação do projeto piloto EMBRAPII e na criação da EMBRAPII Organização Social.


José Carlos Mierzwa

Possui pós-doutorado na Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas de Harvard (2011), livre docência na Escola Politécnica da USP (2009), doutorado em Engenharia Civil [Sp-Capital] pela Universidade de São Paulo (2002), mestrado em Tecnologia Nuclear pela Universidade de São Paulo (1996) e graduação em Engenharia Química pela Universidade de Mogi das Cruzes (1989). Professor pesquisador da Universidade de São Paulo; Coordenador do Curso de Engenharia Ambiental da Escola Politécnica da USP e Coordenador de Projetos do Centro Internacional de Referência em Reúso de Água. Tem experiência na área de Engenharia Sanitária, com ênfase em Engenharia Sanitária e Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: água, reúso, tratamento, efluentes, conservação, planejamento, gestão e qualidade ambiental e produção mais limpa. Atua também no desenvolvimento de projetos de sistemas de tratamento de água e efluentes e processos de separação por membranas. Em 2011 iniciou uma colaboração com a Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas de Harvard para síntese e modificação de membranas poliméricas com a utilização de nanomateriais, para aplicação em tratamento de água e efluentes.


José Eduardo Gobbi

Engenheiro Sanitarista pela Escola de Engenharia Mauá, São Caetano do Sul, SP, em 1986. Experiência de 31 anos obtida na área de Engenharia Sanitária (Industrial e Ambiental):
• Como Gerente de Vendas: no desenvolvimento de negócios e comercialização de serviços e de produtos para o setor público e privado em todo território brasileiro e America Latina;
• Como Engenheiro Assistente: na operação e manutenção da Usina de Compostagem de Lixo de Vila Leopoldina, na operação da Estação de Tratamento de Esgotos de Barueri e no planejamento e controle de obras civis;
• Como Engenheiro de Projetos: na execução de projetos de saneamento básico;
• Associação Brasileira da Indústria Química – ABIQUIM, atual Coordenador da Comissão de Saneamento e Tratamento de Água da ABIQUIM, e membro do Conselho da Diretoria.
• Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES sócio desde 1983. Eleito Conselheiro Fiscal para os Biênios 2008/2010, 2017/2018, e Conselho Diretor 2011/2016
• Conselheiro ARSESP 2010/2015
• Membro representante da FIESP na CETESB - Câmara Ambiental do Setor Saneamento
• Membro representante da ABIQUIM na ABIMAQ - Câmara do Setor Saneamento.


Júlio César Félix

Engenheiro civil, graduado pela Universidade Estadual de Maringá (1979), Júlio C. Felix já exerceu inúmeros cargos de direção, inclusive o de diretor administrativo do Tecpar (1987 a 1988) e diretor técnico (1995 a 1999). Além de atividades como docente, Felix é consultor e exerceu também o cargo de diretor superintendente da Rede Paranaense de Metrologia e Ensaios (Paraná Metrologia); diretor de metrologia científica e industrial do Inmetro; secretário adjunto de biotecnologia do Ministério da Ciência e Tecnologia; chefe da Divisão da Qualidade do Ministério da Saúde; Presidente da Associação dos Laboratórios Oficiais do Brasil (Alfob) e diretor técnico do Instituto de Pesos e Medidas do Paraná (Ipem/PR). Atualmente além de Diretor-Presidente do Tecpar ocupa, pela segunda vez o cargo de presidente da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica (Abipti).


Karen Fite

Karen Fite é diretora da Georgia Manufacturing Extension Partnership (GaMEP), onde supervisiona a extensão estadual para oferta de serviços a fabricantes e empreendedores. O GaMEP é parte do NIST Manufacturing Extension Partnership nacional, um programa federal com serviços de extensão em cada estado nos Estados Unidos. Ela é responsável por conectar empresas, fabricantes e comunidades aos serviços de inovação e tecnologia do Intituto Tecnológico da Geórgia (Geórgia Tech), projetados para elevar sua posição competitiva e impacto econômico. Anteriormente, Karen Fite foi gestora de redes regionais do estado para a GaMEP, liderando a equipe de nove gerentes regionais em seus esforços de extensão. Foi Auditora-Chefe de RAB-Certified Quality Management Systems, fornecendo assistência de implementação e treinamento para empresas buscando a ISO 9001. Tem experiência em assistência a empresas na implementação dos Princípios de Produção Otimizada (Lean Principles) em empresas do setor de fabricação, governamental e de assistência médica. Sua experiência anterior inclui a aplicação de engenharia indistrial e engenharia de gestão, envolvimento de trabalhadores e princípios comerciais.
Karen Fite tem mestrado em Administração de Empresas pela Universidade de Miami e bacharelado em Ciências (Sistemas de Saúde) pelo Georgia Tech.


Kleber Albuquerque de Vasconcelos

Mestre em Administração com especialização em estratégia empresarial – FEAD – 2005/2006
Master Certificated em Gerenciamento de Projetos pela George Washington University – USA-2005, especializações em: Sistemas Avançados de Computação – IBM / Columbia University – 1986, Improving Business Process Program – Columbia University – 1.985, Metodologia de Ensino Superior – UNA/MEC – 1.985 , Marketing em Serviços – USP – 1.984, pós-Graduação - Engenharia Econômica – UFMG – INEA – 1.977, Graduação- Engenharia Civil - UFMG – 1.975, atuação em associações e entidades de classe empresarial liderando grupos de interesse como: Marketing, Desenvolvimento Empresarial e Produtos ( Assespro , Sucessu , Amcham, Conselheiro do CTI-Conselho de Tecnologia e Inovação – FIEMG, Conselheiro do CONAC –Conselho Nacional de Acreditação) , Diretor Executivo de uma OSCIP na área de Metrologia – RMMG.


Marcus Vinicius Lopes Bezerra

• Administrador
• MBA em Gestão de projetos pela Universidade católica de Brasília;
• Gerente Adjunto da Unidade de acesso à Inovação, tecnologia e sustentabilidade do SEBRAE Nacional;
• Coordenador Nacional do programa ALI – Agentes Locais de Inovação (parceria SEBRAE/CNPq);
• Conselheiro titular do SEBRAE/AP
• Membro dos comitês:
Comitê Técnico de Extensão Tecnológica – SIBRATEC (MCTI);
Associação Nacional da Extensão Técnologica (Anet) – Camara dos Deputados.
• Professor de Empreendedorismo e Inovação na Faculdade CECAP – Brasília.
• Participou de diversos cursos de empreendedorismo e inovação no Brasil e em instituições internacionais de vanguarda.


Maria Filomena Camões

Professora Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa – Portugal, é Licenciada em Ciências Físico-Químicas pela Universidade de Lisboa, Portugal, obteve o seu Doutoramento em Química Física pela Universidade de Newcastle-upon-Tyne, UK, e a Agregação em Química Analítica pela Universidade de Lisboa. Aposentada em 2015 da carreira docente universitária, é coordenadora do grupo de investigação “Biogeoquímica Ambiental” do Centro de Química Estrutural-Ciências (CQE@Ciencias). A sua carreira científica iniciou-se com a publicação do artigo "Enthalpy of Ionization of Water from Electro-motive Force Measurements", Journal of the Chemical Society, Faraday Transactions I 69 (1973) 949, e com o Projecto de Doutoramento em “Calibration Procedures for Glass Electrodes”. O primeiro, na área da Química-Física da água, o segundo abordando aspectos de índole analítica, designadamente a medição de acidez de soluções aquosas. Esta curiosa associação terá ditado uma carreira académica intensa que ligou ensino e investigação em campos como Química Electroanalítica e Ambiental, Metrologia Química e, mais especificamente, Medição de pH, em que lidera.
Desde 2000 tem concentrado os seus estudos em sistemas químicos de elevada complexidade, como sejam, partículas atmosféricas de origens marinha e urbana, e águas de elevada salinidade, para as quais desenvolveu estratégias analíticas inovadoras. Nesta qualidade foi-lhe atribuída recentemente uma Bolsa Europeia de Investigação de Excelência sobre Abordagem Metrológica da Acidez de Água Oceânica e ocupou cargos da maior representatividade, como sejam, Presidente da Divisão de Química Analítica da IUPAC; Presidente da Eurachem e Presidente da Sociedade Portuguesa de Química.


Maria Inês Zanoli Sato

Bacharel em Ciências Biológicas Modalidade Médica (UNIFESP, 1977), mestre em Microbiologia e Imunologia (UNIFESP, 1986) e doutora em Ciências (ICB/USP, 1995). Especializações na USEPA, Univ. Califórnia (Irvine), Univ. Flórida (Gainsville) e Univ. de Pretória. Atua na CETESB há 38 anos na área analítica, gerenciamento de laboratórios e coordenação de Projetos de Pesquisa. Ampla experiência em Microbiologia, Parasitologia e Mutagênese Ambiental e Controle de Qualidade Analítica Laboratorial. Professora convidada de vários cursos de especialização e pós-graduação. Possui uma série de publicações em revistas nacionais e internacionais de impacto na área de ambiental e de saúde pública.


Maria Nogueira Marques

Possui graduação em Bacharel em ciências com habilitação em química - Faculdades Oswaldo Cruz (1985), graduação em Licenciatur em ciências com habilitação em química - Faculdades Oswaldo Cruz (1985), mestrado em Tecnologia Nuclear pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (1999) e doutorado em Tecnologia Nuclear pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (2004). Atualmente é pesquisadora do Instituto de Tecnologia e Pesquisa, membro titular - Fórum Sergipano de Comitês de Bacias Hidrográficas, secretária geral - Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Piauí e professor pleno (ppg1) da Universidade Tiradentes. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Análise de Traços e Química Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: cromatografia de íons, cromatografia líquida (HPLC), qualidade de água, análise de pesticidas, avaliação de IQA e avaliação ambiental.


Maricene Menezes de Oliveira de Mattos Paixão

Geóloga, especialista em geotecnia, geotecnia ambiental e em gerenciamento de recursos hídricos. Analista Ambiental do Instituto Mineiro de Gestão das Águas, onde trabalha desde 2002, atuando nas áreas de outorga e monitoramento de águas subterrâneas, participando de grupos técnicos de trabalho relacionados à gestão de recursos hídricos e ambiental no âmbito do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Conselho Nacional de Recursos Hídricos, com vistas à elaboração de normas e procedimentos para outorga e demais instrumentos de gestão de recursos hídricos e ambiental, bem como na elaboração e acompanhamento de projetos de pesquisa na área de hidrogeologia e de gestão de recursos hídricos de bacias hidrográficas.


Marina Andrada Maria

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (2006), Mestre e doutoranda em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Especialista em Tecnologia Ambiental e em Ecotoxicologia. Atualmente é Pesquisadora em Tecnologia no Instituto Senai de Tecnologia em Meio Ambiente do Centro de Inovação e Tecnologia Senai Fiemg, com experiência em: efluentes líquidos, recursos hídricos e monitoramento ambiental nas áreas de ecotoxicologia, ictiologia e microbiologia.


Olívio Pereira de Oliveira Junior

Olívio Pereira de Oliveira Junior graduou-se em engenharia química pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (EPUSP) em 1982. Começou sua carreira profissional no Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN) trabalhando no campo da tecnologia do vácuo. Em seguida, envolveu-se com a aplicação de técnicas de detecção de vazamentos para assegurar a integridade de instalações de enriquecimento isotópico de urânio. Neste campo, foi certificado como inspetor nível III pela American Society for Non Destructive Testing (ASNT) Level III. Posteriormente dedicou-se a calibração de medidores de pressão e vazão de hexafluoreto de urânio. Obteve o mestrado na USP em 2000 com o tema das medições multielementares e isotópicas do urânio pela espectrometria de massas com fonte de plasma induzido (ICPMS). Entre os anos de 2000 e 2001, trabalhou nos laboratórios da Agencia Internacional de Energia Atômica (IAEA) em Seiberdorf (Áustria), estudando os requisitos científicos do sistema de salvaguardas nucleares. De 2002 a 2005, trabalhou como perito no “Institute for Reference Materials and Measurements (IRMM) em Geel (Bélgica), trabalhando com a determinação da razoes isotópicas do urânio por meio das técnicas de GSMS, TIMS and MC-ICPMS. Obteve o doutoramento na USP em 2006 com uma tese dedicada a preparação, caracterização e certificação de materiais de referencia isotópicos de urânio. Participa de grupos de especialistas em ensaios destrutivos da Agência Brasileiro - Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (ABACC), European Safeguards Research and Development Association (ESARDA) e do Institute of Nuclear Materials Management (INMM). É professor da disciplina “Metrologia em Medições Químicas” (TNA 5789), nos cursos de pós-graduação em Tecnologia Nuclear da Universidade de São Paulo.


Ossamu Hojo

Possui graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal de São Carlos (1985), mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal de São Carlos (1990) e doutorado em Engenharia Química pela Universidade Federal de São Carlos (1997). Atualmente é professor assistente doutor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Tem experiência na área de Engenharia Química, com ênfase em Processos Bioquímicos, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino, orientação profissional realizado através dos estágios curriculares supervisionados, sistemas de gestão da qualidade voltados para processos químicos e metrologia em química com ênfase na área de educação e difusão da cultura Metrológica como fator estratégico para os desenvolvimentos pessoal, social e nacional.


Paulo Sérgio Lacerda Beirão

Possui graduação em Medicina pela UFMG (1972), mestrado em Biofísica (1976) e doutorado em Ciências pelo Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho da UFRJ (1980). Fez pós-doutorado na University of Leicester, U. K. (1993). Atualmente é Professor Titular do Departamento de Bioquímica e Imunologia da UFMG (desde 1998). Foi Research Associate da University of Pennsylvania e do Jefferson Medical College (1976-1977) e Honorary Research Fellow da University of Leicester (1992-1993). Demonstrou o mecanismo de ação de diversas toxinas de aranhas do gênero Phoneutria. Propôs e demonstrou mecanismo molecular da ação de toxinas de escorpião, e o mecanismo do controle da inativação rápida em canais de sódio. Participou como conferencista convidado em vários congressos nacionais e internacionais. Formou um forte grupo de eletrofisiologia, reconhecido nacional e internacionalmente, onde se formaram vários mestres e doutores que ocupam posições em universidades brasileiras e estrangeiras. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Biofísica (1994-1996) e da Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular (2006-2008), e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Toxinologia. Participou do Conselho Deliberativo da Federação de Sociedades de Biologia Experimental e foi conselheiro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência em dois mandatos. Tem interesse em Educação, tendo introduzido métodos inovadores no ensino prático de Bioquímica, além de coordenar e participar de atividades de melhoria do Ensino Básico de Ciências. Foi coordenador do Programa de Pós-graduação em Bioquímica e Imunologia, e liderou a criação do Curso de Doutoramento em Bioinformática, do qual foi o primeiro coordenador. Foi pró-reitor de Pesquisa da UFMG (1998-2002). Sob sua gestão foi elaborado o projeto de criação do parque tecnológico da UFMG (BH-TEC). Coordenou a criação do Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinares da UFMG, do qual foi o primeiro presidente. Foi presidente do Conselho Curador da FAPEMIG (2010-2011), e participa ou participou como representante da comunidade científica de várias comissões ligadas a Educação, Ciência e Tecnologia, como Conselho Deliberativo do CNPq, Conselho Consultivo da FINEP, Comitê Gestor do CTInfra, Comissão de Coordenação do PRONEX e Comissão Coordenadora da elaboração do Plano Nacional de Pós-Graduação 2011-2020. Recebeu homenagens e distinções de alunos, governo de Minas Gerais e governo Federal. Recebeu Prêmio Fundep 2012. É comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico e membro titular da Academia Brasileira de Ciências. Foi diretor de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde do CNPq de fevereiro de 2011 a agosto de 2013, e Diretor de Cooperação Institucional do CNPq (julho de 2014 a abril de 2015).


Rima Yehia

Possui especialização em Engenharia da Qualidade (MBA) pela Universidade de São Paulo (2009) e graduação em Física pela Universidade de São Paulo (1999). Atualmente é chefe do Laboratório de Metrologia Elétrica do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo. Tem mais de 30 anos de experiência na área de Engenharia Elétrica, atuando principalmente nos seguintes temas: metrologia elétrica, instrumentação, pesquisa tecnológica, gestão e engenharia da qualidade. Possui vasta experiência na implantação de capacitação para calibração de instrumentos de medição relacionados à metrologia elétrica de baixa frequência; estudo e aplicação de técnicas estatísticas e desenvolvimento de procedimentos para avaliação e cálculo de incerteza de medição; acompanhamento de padrões de referência; execução de gráficos de controle; participação e organização de programas interlaboratoriais; implementação de sistemas da qualidade em laboratório conforme os requisitos das normas NBR ISO/IEC 17025 e NBR ISO 9001 e auditorias da qualidade em laboratórios. Avaliadora cadastrada pela Remesp para o Programa de Reconhecimento da Competência de Laboratórios de Ensaio e Calibração, desde 2004. Avaliadora do prêmio Banas Excelência em Metrologia, entre 2007 e 2013. Ministra diversos treinamentos em metrologia e gestão da qualidade em laboratórios.


Rogério Pena Siqueira

É Presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES-MG) Formado em Engenharia Civil pela FUMEC; Pós-graduado na mesma escola, em Qualidade e Produtividade na Construção Civil; Mestre em Construção Civil, com foco em meio ambiente pela FEA-FUMEC; Auditor Ambiental Internacional pela Proenco Brasil; e formação em Políticas Públicas pela Fundação João Pinheiro. Funcionário concursado da Prefeitura de Belo Horizonte atua na Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura. Atuou também na construção civil em várias empresas privadas; foi Diretor Geral do DMAE, Departamento Municipal de Água, Esgoto e Saneamento de Ponte Nova; foi Gerente de Licenciamento Urbanístico e Ambiental na Secretaria de Coordenação da Gestão Regional Pampulha; Diretor do Parque das Mangabeiras; Diretor Operacional e Diretor de Planejamento e Gestão, da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU). Foi membro do Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMAM), membro da Câmara Técnica de Licenciamento de Eventos do COMAM; do Conselho Curador da Fundação Zoobotânica; do Conselho Curador da Fundação de Parques Municipais; Conselho de Habitação de Belo Horizonte; e do Comitê Municipal sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência, onde presidiu o grupo de energias renováveis. Atualmente, representa a ABES-MG como conselheiro na Câmara Técnica Especializada em Políticas de Energia e Mudanças Climáticas (CEM) do COPAM-MG.


Ruth Marlene Campomanes Santana

Formada em Engenharia Química na Universidade Nacional Mayor de San Marcos-UNMSM, Lima-Perú. Realizou o mestrado e o doutorado na UNICAMP, Pós-doutorado na Universidade Federal de São Carlos, SP. Foi docente no Departamento de Engenharia Ambiental da - UNISC, RS e desde 2009 é docente no Departamento de Materiais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS/RS. Bolsista de Produtividade em Pesquisa-PQ nível 2. Trabalha na área de Materiais com ênfase em Polímeros, atuando principalmente nas seguintes linhas de pesquisa: Reciclagem de resíduos sólidos com ênfase em polímeros; Degradação abiótica e biótica de polímeros; Processamento de termoplásticos e compósitos poliméricos; Funcionalização de poliolefinas para promover adesão; entre os mais importantes. Coordena projetos tais como: FAPERGS; CNPq; SIBRATEC (MCT/FINEP), assim como empresas BRASKEM e PAQUETÁ, entre os mais importantes, assim como a interação de projetos de pesquisa com as universidades, UCS, UNIVILLE e UFMT. Possui varias publicações de trabalhos completos em revistas e em anais de eventos científicos nacionais e internacionais. Tem mais de 15 reportagens em revistas, sites, jornais, rádio e TV sobre as linhas de pesquisa de Reciclagem de Polímeros e Polímeros Biodegradáveis. Recebeu algumas premiações em eventos nacionais e internacionais. Na UFRGS já formou a 6 doutores, 33 mestres e vários alunos de Iniciação científica e Trabalhos de conclusão de curso.


Samuel Wunderli

Diplomado ETH / Ph.D ETH, atomolmetrion GmbH Chemin de la Binna 10 / 1786 Sugiez / Suíça
Estudos de Química pelo ETH (Swiss Federal Institute of Technology), Zurique, diplomado
• Estudos de doutoramento em Química Analítica Inorgânica no ETH Zurique, Ph.D
• Colaborador científico do EMPA (Swiss Federal Institute for Materials Science and Research) por 17 anos em três posições diferentes: química aérea (mineração de dados, estatística, medição) análise de traços orgânicos e resolução de problemas de clientes (dioxinas, PCBs, PAH etc.), metrologia química (IDMS, IRM, materiais puros)
• Colaborador científico do METAS (Swiss Federal Institute of Metrology) por 10 anos (vales de referência para medições químicas clínicas, medição de atividades químicas e sistemas para íons, glicose etc.
• Desde 2015, proprietário da empresa de consultoria científica “Atomolmetrion”.
• Especialista em acreditação de laboratórios de acordo com os requisitos ISO 17025;
• Especialista em produção CRM, de acordo com os requisitos de ISO 17034;
• Palestrante em Química Analítica
• Consultor científico de trabalho de metrologia química analítica
• Secretário da CITAC (Cooperation on International Traceability in Analytical Chemistry)) no período 2010-2017
• Revisor de diversos periódicos de química analítica
• Membro do conselho editorial do “Analytical Chemistry Insights” (um jornal de fonte aberta)


Sergio Brasil Abreu

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Ceará (UFC), mestrado em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP) e doutorado em Engenharia Hidráulica e Ambiental pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). É servidor público da carreira de Analista de Infraestrutura, Departamento de Planejamento e Regulação (DPLAR), lotado no Ministério do Planejamento e em exercício no Ministério das Cidades, na Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental - SNSA. Integrou da equipe técnica de elaboração do Plano Nacional de Saneamento Básico (PLANSAB). Faz parte do Grupo de Trabalho coordenado pela Agência Nacional de Águas - ANA para elaboração do estudo Atlas de Despoluição de Bacias Hidrográficas. Entre 2011 e 2014 foi Coordenador-Geral do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS). Hoje faz parte do grupo técnico do Programa de Desenvolvimento do Setor Águas (INTERÁGUAS) como coordenador do projeto que elabora uma Proposta do Plano de Ações para instituir uma política de reúso de efluente sanitário tratado no Brasil e participando como colaborador em diversos outros projetos.


Vania Regina Kosloski

Possui graduação em Tecnologia de Alimentos - SENAI - Departamento Regional de Santa Catarina (2006). Especialização em Segurança dos Alimentos - SENAI - Departamento Regional de Santa Catarina. Responsável Técnica do Laboratório de Análise de Alimentos Setor Físico-Químico do Senai de Chapecó/SC junto ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento desde 2008 e acreditado junto a CGCRE (INMETRO). Possuí experiência na realização de ensaios físico-químicos de alimentos e água, sistemas de controle de qualidade analítica, leiaut de laboratórios de análises físico-químicas e auditoria interna na norma ISO IEC 17025 para os requisitos técnicos.


Wolfhard Wegscheider

É professor de Química Geral e Analítica da Montanuniversitaet Leoben, Áustria. Recebeu sua formação educacional na Graz University of Technology, cursando Química Técnica com especialização em Bioquímica e Química de Alimentos. Sua tese de mestrado e tese de doutorado foram em Química Analítica com ênfase sobre análise de traços e análise ambiental. Como bolsista da Fundação Fulbright, trabalhou em Denver, CO, principalmente em espectrometria de fluorescência de raios-X dispersiva de energias.
A maior parte de suas pesquisas está concentrada no desenvolvimento de procedimentos quimiométricos para problemas químicos analíticos. É coautor do livro didático sobre Química Analítica representando o curriculum DAC FECS e membro do conselho editorial e colaborador da Enciclopédia de Ciências Analíticas Academic Press). Wolfhard Wegscheider é membro de diversas sociedades acadêmicas, como GDCh, GOECh, Co-operation on International Traceability in Analytical Chemistry (CITAC) e EURACHEM, onde também é membro fundador do Grupo de Trabalho sobre Educação e Treinamento (Working Group on Education and Training), do Grupo de Trabalho sobre Incertezas de Medição e Rastreabilidade (Working Group on Measurement Uncertainty and Traceability). Tanto na EURACHEM como na CITAC, ele também atuou como Presidente. Depois de ter sido presidente, atualmente é membro do Conselho de Diretores da Austrian Society of Analytical Chemistry – ASAC. Em 2010, foi nomeado membro do International Union of Pure and Applied Chemistry (IUPAC).
Consultor do Ministério Federal de Agricultura, Administração Florestal, Meio Ambiente e Gestão de Águas da Áustria, é auditor-chefe do Austrian Accreditation of Laboratories System e Consultor Editorial de revistas como MIKROCHIMICA ACTA, SPECTROCHIMICA ACTA ELECTRONICA, CHEMOMETRICS AND INTELLIGENT LABORATORY SYSTEMS e ACCREDITATION AND ANALYTICAL QUALITY ASSURANCE.
De 1995 a 2001 atuou como Pró-reitor de Pós-graduação da Montanuniversitaet Leoben, e de 2003 a 2011 como Reitor (Presidente) dessa instituição. Atualmente é presidente do Conselho Diretor da OeAD GmbH, o órgão austríaco para cooperação internacional em educação e pesquisa. Wolfhard Wegscheider é membro do Comitê Estatístico da AOAC International para o período de 2016 a 2019.


Zenilde das Graças Guimarães Viola

Bacharel em Química, mestre em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos e doutora em Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre pela Universidade Federal de Minas Gerais. Como analista ambiental do Instituto Mineiro de Gestão da Águas - IGAM, trabalhou no Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de MG – SISEMA no período de 2001 a 2014, exercendo os cargos de coordenadora do Projeto Águas de Minas e Gerente de Monitoramento e Geoprocessamento do IGAM, e como Diretora de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais e Eventos Críticos, Diretora de Prevenção e Emergência Ambiental e Superintendente de Controle e Emergência Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente - SEMAD. Desde outubro de 2014 é Pesquisadora em Tecnologia do Instituto SENAI de Tecnologia em Meio Ambiente atuando como responsável técnica e gestora dos laboratórios de análises físicas, químicas e cromatográficas.